Google+

Tradutor

sábado, 19 de julho de 2014

Cerca de 100 cientistas engajados na luta contra a Aids morreram a bordo de avião abatido





O universo da pesquisa contra a Aids está em estado de choque nesta sexta-feira (18) pelo fato de que dezenas de destacados especialistas na área podem ter morrido a bordo do avião que foi derrubado na Ucrânia, provocando um duro golpe nas esperanças de uma cura para a doença. Algumas mortes já foram confirmadas.
Entre eles estava Joep Lange, que pesquisava a doença havia mais de 30 anos e era considerado uma das maiores autoridades na área, admirado por sua defesa incansável da garantia do acesso barato a drogas de combate à Aids em países pobres.
"Ele é um dos ícones de toda esse campo de pesquisa. Sua perda é imensa", disse Richard Boyd, professor de imunologia na Universidade Monash, de Melbourne, à Reuters.
Estima-se que até 100 pessoas que iam para uma conferência anual sobre Aids em Melbourne se encontravam no voo, noticiou a Fairfax Media, entre eles Lange, ex-presidente da Sociedade Internacional de Aids (SAI), responsável pelo evento.
"A cura da Aids poderia estar à bordo daquele avião, simplesmente não sabemos", disse Trevor Stratton, um consultor sobre Aids que já se encontrava em Sydney para um pré-evento, à rede Australia Broadcasting Corp.
A conferência, marcada para começar no domingo, tem entre os principais palestrantes deste ano o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton e são esperados mais de 12 mil participantes.
A SAI ainda trabalhava com as autoridades responsáveis para confirmar o número de conferencistas a bordo do avião.
"Em reconhecimento à dedicação de nossos colegas na luta contra o HIV/Aids, a conferência vai continuar como planejado e vai incluir oportunidades para refletirmos e nos lembrarmos daqueles que perdemos", disse a entidade em comunicado.

Fonte: info.abril  (Reportagem adicional de Jane Wardell e Lincoln Feast)



sexta-feira, 18 de julho de 2014

Grêmio agora é powered by Hana



Começa uma nova fase para o Grêmio. O clube anunciou nesta quinta-feira, 17, o início de um processo de implantação de tecnologias SAP em seus segmentos de administração e futebol, baseados em processamento em Hana.


O SAP Hana, que emprega alto poder de processamento e banco de dados em uma plataforma unificada, será a cama para o desenvolvimento de aplicações a serem usadas tanto pelos dirigentes de futebol, comissão técnica e membros do conselho administrativo do clube.

Com a implantação, realizada em parceria com a ITS Group, responsável pela venda das licenças, o Grêmio utilizará o ERP da SAP, agregando módulos como o de finanças, marketing, controle de sócios, entre outros.

Segundo a multinacional, o projeto com o tricolor gaúcho representa algo inédito no futebol latino-americano. Clubes como Botafogo, Cruzeiro e o rival Inter usam ERP da Totvs (rival da SAP no país), e o Palmeiras implantou no ano passado o SAP Business One, ERP para pequenas e médias da empresa alemã.

"É uma proposta mais abrangente do que a que foi feita no Palmeiras, que é um software exclusivo para aplicação de negócios", destacou Daniel Duarte, executivo-chefe de inovação e experiência do cliente na SAP Labs Latin America.

A abrangência a que Duarte se refere tem a ver com os usos práticos dos dados e a operação em tempo real que o Hana permitirá ao clube gaúcho. Romildo Bolzan, vice-presidente do Grêmio, deu um exemplo prático sobre isso.

"Com esta tecnologia, poderemos até ter controle de estoques em nossas lojas, e os dados de venda da rede podem incluir informações de um possível sócio tricolor em nossa base", avalia o dirigente. Antes da adoção do ERP SAP, o Grêmio utilizava um sistema próprio para a gestão administrativa.

Na parte esportiva, o uso do Hana será nos moldes de projetos feitos em outros clubes em que a SAP tem tecnologia implantada, como nos EUA, em times como o San Francisco 49ers e a NBA, e Alemanha, no Hoffenheim e na seleção nacional, campeã da Copa do Mundo.

Entretanto, Duarte fez questão de afirmar que o projeto do Grêmio terá suas especificidades e de que a inovação, por si só, não garante uma "receita para ser campeão".

O Match Insights, como foi usado pela confederação alemã, usa SAP Hana para a preparação pré jogo e análise posterior às partidas, baseados em dados estruturados, como números de passes e chutes dos jogadores, até informações não estruturadas, como imagens do jogo, que são transformadas em dados como velocidade percorrida, área do campo utilizada, entre outros.

O plano do clube é ter acesso a estas informações em tempo real, tanto em jogos como em treinamentos.

Segundo Rui Costa, diretor executivo do Grêmio, o clube já está avaliando custos para adquirir sensores para uso nos treinos e no CT do clube - em partidas oficiais, não são permitidos o uso destes dispositivos.

"Já possuimos uma equipe dedicada para esta parte estatística dos jogadores. Agora estamos trabalhando para adequar este trabalho às novas tecnologias que vamos empregar", explicou.

De acordo com o dirigente, o segundo semestre será de revisão de processos no clube, e os primeiros usos das soluções SAP devem entrar em ação a partir do início da temporada 2015.

"O trabalho será conduzido por uma equipe do SAP Labs, formada por oito profissionais. Eles acompanharão jogos e treinamentos do Grêmio, definindo juntamente com o clube as melhores práticas para formatar a solução que será utilizada", complementa Duarte.

Além do Match Insights, outras aplicações que serão adotadas será o portal do jogador, em que atletas e comissão técnica poderão acessar perfis individuais de desempenho nos jogos e no campeonato. 

"A tecnologia dá subsídios para a comissão técnica e jogadores saberem o que fizeram de certo e onde podem melhorar seu jogo, baseados em dados de jogos e treinos", explica Duarte, ressaltando que o portal será uma aplicação otimizada para formatos mobile - tablets e smartphone.

Por falar em mobilidade, o torcedor também faz parte da nova estratégia, com a criação de um app do clube para a torcida. Em sua versão inicial, sem previsão de lançamento, a ideia é levar informações do clube, como datas e tabelas, assim como recursos de relacionamento entre os torcedores.

O executivo da SAP não deu mais detalhes sobre como o app deve operar. Segundo ele, as possibilidades são grandes se levar em referência experiências da SAP em outros clubes.

Um exemplo é o da SAP Arena em San Jose, na Califórnia, onde acontecem os jogos do San Jose Sharks, clube de hóquei da cidade. Através do app do clube, o torcedor pode saber as novidades, comprar ingressos, produtos do clube ou até mesmo o seu lanche usando o app.

"Este cenário não faz parte do escopo inicial do projeto, mas dependendo da vontade do Grêmio e de como o projeto se encaminhar, não vejo porque não seria possível fazê-lo", observa Duarte, que revela que as aplicações de CRM da SAP podem vir com força em uma segunda onda da implantação.

Para Bolzan, um futuro de gestão unificada desde a administração até o torcedor, passando pela Arena, depende também da situação do clube com o estádio, atualmente administrado pela OAS e que usa um ERP diferente (Totvs).

"Se acontecer de o Grêmio assumir o controle da Arena, daí entraremos em uma nova conversa", respondeu de forma direta Bolzan, fazendo referência ao plano do presidente gremista Fábio Koff para reunir investidores para comprar os direitos da Arena junto à OAS.


Fonte: Baguete

quarta-feira, 16 de julho de 2014

12 coisas que a Samsung fabrica e você não sabia




Celulares, tablets, notebooks, câmeras digitais, televisores e smartwatches. Produtos como esses fazem parte do portfolio da empresa sul-coreana Samsung e você já deve estar acostumado a ler notícias sobre eles todos os dias.
Por trás da empresa líder no segmento de smartphones na atualidade existem dezenas de outras subsidiárias que gerenciam negócios diversos e fabricam itens que talvez você jamais imagine que levem a marca da Samsung. Neste artigo, listamos alguns itens curiosos que fabricados pela empresa ou que, de uma forma ou de outra, gerem lucro para a dona da linha Galaxy. 
1. Helicópteros
Um dos braços da Samsung atende pelo nome de Samsung Techwin e engloba a Samsung Aerospace Industries. Esse segmento é responsável por fabricar, desde 1987, helicópteros para uso comercial e militar. Alguns modelos, como o Bell 427, foram desenvolvidos em parceria com empresas norte-americanas, japonesas e canadenses.


2. Tanques de guerra

A linha de equipamentos de defesa produzidos pela Samsung conta ainda com itens bélicos, como tanques de guerra. Os modelos K2 Black Panther, K9 Thunder e K10 ARV foram desenvolvidos tendo como clientes o governo sul-coreano. A Turquia e a Austrália também adquiriram algumas peças na década passada e, em 2013, o governo do Azerbaijão abriu negociações para a compra de modelos do K9.
3. Motores de aviões, helicópteros e navios 
Tendo como objetivo suprir necessidades do governo sul-coreano, a Samsung Techwin fabrica também turbinas para aviões, helicópteros e navios. Atuando neste segmento desde 1979, a empresa já fabricou mais de 5 mil peças, incluindo as turbinas de gás F404, F110, T700-T701K e LM500.


5. Edifícios e construções


Por meio da Samsung C&T Corporation, a Samsung atua também em diversas partes do mundo como construtora. A Petronas Twin Towers, na Malásia, quarto prédio mais alto do mundo, e o Taipei 101, em Taiwan, terceiro maior prédio do mundo foram feitos pela empresa que é propriedade da Samsung. Outros trabalhos incluem plantas industriais na Arábia Saudita, nos Emirados Árabes, na Coreia do Sul e na Malásia.


7. Roupas
A Samsung leva muito a sério o conceito de “vestir a camisa” e, por conta disso, uma de suas subsidiárias também é responsável por roupas. A Cheil Industries é uma das maiores indústrias têxtis do país. Roupas sob as grifes Bean Pole International, 10 Corso Como e 8seconds geram lucros à empresa sul-coreana.

8. Agência de publicidade e propaganda

A Samsung conta também com a Cheil Worldwide, uma agência de publicidade e propaganda que atua ainda nas áreas de relações públicas, marketing esportivo e marketing digital. A Cheil foi considerada em 2012 a décima quinta maior agência do mundo, atendendo a clientes como Samsung, New Balance, Coca-Cola, ESPN e AIG.

9. Cartão de crédito e seguro de vida

Precisando de uma grana extra para as suas compras? Há cerca de 10 anos a Samsung atua na Coreia do Sul também como operadora de cartão de crédito e de fundos de investimento. A subsidiária é operada pela Samsung Electronics, responsável pelos equipamentos eletrônicos que você conhece, em parceria com a Samsung Life Insurance, outra empresa do grupo responsável pela comercialização de apólices de seguro.

10. Filmes

Até bem pouco tempo, as grandes produções cinematográficas da Coreia do Sul tinham como assinatura uma empresa de propriedade da Samsung, por intermédio da Samsung Entertainment. A CJ Entertainment foi desmembrada da companhia recentemente, devido ao amplo monopólio no setor que a Samsung havia conquistado. Em seu portfolio, a companhia conta com mais de 50 produções.

11. Parque de diversões

Se você for à Coreia do Sul, uma das atrações de lazer que irá encontrar é o parque de diversões Everland Resort. Desde 1976 ele é propriedade da Samsung e esse segmento inclui ainda a rede de hotéis Shilla. Ou seja, se você precisar descansar e relaxar, a Samsung certamente terá uma opção para você. 

12. Futebol

No Brasil, a Samsung já foi patrocinadora de alguns clubes, como por exemplo o Corinthians. No mundo, sua parceria mais conhecida é com o inglês Chelsea. Entretanto, é na Coreia do Sul que reside o Suwon Samsung Bluewings, clube da primeira divisão da K-League, e que conta com suporte total da Samsung, sendo também uma de suas propriedades. 

Indo muito além disso...

Além das empresas que controla majoritariamente, a Samsung também atua em parceria com diversas companhias em projetos específicos – nas chamadas joint ventures – e possui parcela de capital em outras empresas, o que torna o seu alcance ainda maior. Atualmente a empresa responde por 17% do PIB da Coreia do Sul.

Algumas curiosidades:

  • É dona de 9,6% da Seagate
  • É dona de 3% da Sharp
  • É dona de 5% da Wacon
  • Atualmente existe uma parceria entre a Samsung e a Renault para a fabricação de motores automotivos. A empresa sul-coreana detém 19,9% do negócio
  • É dona de 4,19% da Rambus
  • É dona de 10% da Pantech
  • É dona de 10% da Korea Aerospace Industries
  • É dona de 7,4% da Corning, fabricante do Gorilla Glass
  • Possui um acordo com a Shell para construção de instalações voltadas para a produção de energia solar e gás natural no valor de US$ 50 bilhões
  • Possui um acordo com os Emirados Árabes para, juntamente com outras companhias, construir usinas nucleares no país, em um negócio avaliado em US$ 40 bilhões
FONTE(S)
IMAGENS


terça-feira, 15 de julho de 2014

Coisas que pessoas de sucesso fazem antes do café da manhã




Levantar da cama, escovar os dentes, tomar banho e se sentar para o café da manhã. Esses são os primeiros passos da rotina matinal da maior parte das pessoas. Mas não para os executivos de sucesso.

Empreendedores de sucesso acordam bem cedo – Na composição de seu livro, Laura perguntou a 20 executivos a que horas eles costumam acordar. O resultado mostra que, de fato, Deus ajuda a quem cedo madruga: 90% deles acordam antes das 6 horas durante a semana. Por exemplo, a diretora-executiva da Pepsi, Indra Nooyi, acorda às 4h30. Indra, indiana radicada nos EUA, diz que gosta de trabalhar na tranquilidade da madrugada.

Muitos se exercitam – Laura Vanderkam descobriu que exercícios físicos fazem parte da agenda matinal de boa parte dos executivos de alto escalão. Alguns, como a diretora da Xerox, Ursula Burns, vai à academia para sessões de ginástica; outros, como Steve Murphy, da Christies, optam por ioga; outro exercício físico bastante realizado é a corrida: um dos adeptos é Frits van Paasschen, da rede de hotéis Starwood, que corre uma hora por dia a partir das 5h30.

E outros meditam – Em seu livro, Laura também conversou com pessoas que gostam de manter a mente sã. Para começar o dia de forma mais calma, alguns preferem ficar por um tempo em um local reservado e meditar. É o caso de Manisha Thakor, da startup MoneyZen, que faz uma sessão de meditação pela manhã, com exercícios de respiração e repetição de mantras.

Eles criam planos e estratégias – De acordo com a especialista, um dos hábitos matinais dos executivos é pensar no futuro da empresa, seja para o decorrer do dia ou no longo prazo. Os entrevistados planejam e traçam estratégias bem cedo porque, durante a manhã, eles estão menos estressados.

Eles criam planos e estratégias – De acordo com a especialista, um dos hábitos matinais dos executivos é pensar no futuro da empresa, seja para o decorrer do dia ou no longo prazo. Os entrevistados planejam e traçam estratégias bem cedo porque, durante a manhã, eles estão menos estressados.

Eles se informam – Saber o que está acontecendo no mundo pode gerar oportunidades de negócio. Por isso, executivos colocam o consumo de notícias entre suas prioridades durante a manhã. Jeff Immelt, diretor-executivo da GE, tem o hábito de ler jornal e assistir à televisão. Já o líder da Virgin nos EUA, David Cush, se informa do que está acontecendo no mundo enquanto se exercita: ele ouve rádio enquanto está na bicicleta ergométrica.

Eles trabalham em atividades prioritárias – As calmas horas da manhã são o momento ideal para trabalhar em um projeto importante, pois a cabeça está "mais fresca" e a chance de ser interrompido é menor.


Fonte: revistapegn.globo

domingo, 13 de julho de 2014

5 razões que deixam os profissionais infelizes





Você tem um ótimo colaborador, responsável por bons resultados, inovação e motivação da equipe. Até que, um dia… Ele não é mais ótimo. Começa a não fazer o que é necessário, faz um certo corpo mole, está basicamente infeliz. Como isso começa a impactar os negócios, você chega à conclusão de que esse profissional não é mais a pessoa mais indicada para fazer parte do time.
E isso é uma pena porque você vai perder um de seus maiores colaboradores – o que certamente não será bom para a empresa. O especialista Les McKeown enumera algumas práticas que levam seu funcionário à insatisfação e como parar com elas antes que isso vire um grande problema.
1. Prioridades que mudam sempre. Elas são um problema porque nada incomoda mais um bom profissional do que um gestor que não se decide ou que muda as prioridades de acordo com a última moda. Você identifica essa situação quando os empregados demonstram enfado quando uma nova iniciativa é apresentada. O que fazer: proponha estratégias de curto, médio e longo prazos e mantenha-as por um tempo razoável.
2. Mediocridade tolerada. Os melhores profissionais deixam as empresas em que há tolerância para quem não faz a sua parte. Eles começam a se distanciar dos outros empregados ou mesmo a desdenhá-los e se mostram insatisfeitos quando os outros ganham prêmios ou bônus. O que fazer: dê objetivos ambiciosos para toda a organização e distribua prêmios (ou consequências, no caso de resultados ruins) para todos, de maneira consistente e justa.
3. Síndrome de prego redondo e furo quadrado. Os melhores gostam de fazer aquilo em que são melhores, não ser usados como quebra-galho. Quando isso acontece, começam a não se engajar com suas tarefas e responsabilidades. O que fazer: repasse, junto com ela, o que quer que essa pessoa faça. Atualize as descrições dos cargos e oriente os melhores para realizarem aquilo que somente eles podem fazer.
4. Subutilização. É parecido com a situação descrita no item 3. Se o funcionário é ótimo, não quer ficar largado de lado. Você identifica esse cenário quando o profissional está “metendo o bedelho” em áreas que não são de sua responsabilidade. O que fazer: peça à pessoa que faça uma lista do que poderia realizar com seu tempo livre. E faça uma análise da sua própria capacidade de delegar – se você tem um excelente profissional que está subutilizado, provavelmente é adepto da microgestão.
5. Eleição de favoritos. A meritocracia é algo crucial, vital mesmo, para os melhores profissionais. Se você demonstra que tem seus empregados prediletos e dá a eles vantagens independentemente dos resultados, os “tops” certamente irão embora. É fácil de identificar essa situação se aquele funcionário que você contratou como um favor para um parente é mais feliz do que o seu melhor profissional. O que fazer: bom, aqui é óbvio, não?
Fonte: revistapegn.globo

AddThis Smart Layers

Aqui você pode doar para a manutenção das noticias do Blog de Tecnologia

Doe com o Pag Seguro

Pagamento Global

Imagens de solução

Socialclique

Afilio

Siliconaction

Cliquebanner

Afilio

Web Rádio Somsulnativo

Fogabras

Blog do Nelson Alves

Blog de Moda

Blog de Tecnologia